O perigo das campanhas, propósitos e “atos de fé”

A paz amados.

Fiz parte de uma igreja, que faz de maneira exaustiva o uso de tais métodos. Nesta época eu era da equipe de obreiros, e observava que não tinha má intenção em usar tais métodos, principalmente por não anexá-la a uma “oferta” dando a impressão de venda, mas percebi que ainda sim fazia e faz muito mal as pessoas e abaixo explicarei os motivos.

Antes, eu aceitava o uso de tais objetos, claro que sem excessos, mas com o passar do tempo dediquei muito a estudar  o tema e após  algumas experiências pessoais percebi  o mal que esta pratica faz as pessoas.

Vivenciei uma situação que mexeu muito comigo e me fez questionar profundamente sobre estes métodos.

O despertar (porque me questionei?): 

Estava na igreja atendendo alguns membros, era uma quarta feira e veio a mim uma senhora com um certo desespero me dizendo que teria que ir em casa buscar a rosa que foi entregue na semana anterior com o intuito de representar a presença de Jesus na casa da pessoa e tirar todo mal da mesma e como esta senhora tinha esquecido a rosa, logo ela pensou que todo mal permaneceria em sua casa e para “consertar esta falha” estava disposta a perder  o momento do louvor e a palavra para buscar o objeto em sua casa. Logo tentei explica-la que era simbólico, que a rosa era apenas uma representação, mas ainda sim ela não ficou em paz e permaneceu o culto inteiro com o coração atribulado.

Isso me fez questionar o que estamos ensinando as pessoas, mesmo o pastor dizendo que aquele objeto apenas representa e que não é miraculoso, mas as pessoas já vão aos cultos com objetivo firmado em participar da campanha ou para alguns “ato de fé” e seus olhos cegam pois estão obstinados que tal ato as fará liberta do mal.

Mas porque tais métodos não são tão bons ?

Para explicar, quero antes dizer que entendo que boa parte dos pastores que usam estes métodos estão usando não para ludibriar as pessoas, mas para trazer pessoas para igreja, como uma forma de evangelismo ou como uma célula usada por outras igrejas. Mas como diz o ditado, “de boas intenções o inferno está cheio”.

Para explicar o porque destes métodos não serem bons, temos que entender:

  • Jesus Cristo cumpriu a lei, sendo assim não estamos mais debaixo da lei e muito menos da aliança do velho testamento.
  • O Velho Testamento é uma sombra daquilo que Jesus realizou no Novo Testamento, preparando as pessoas para esta obra redentora.
  • No Velho Testamento não tínhamos acesso direto ao Deus PAI e tão somente os sacerdotes poderiam entrar no Santo dos Santos, mas com Jesus o véu foi rasgado (aleluia) e você, eu, todos, temos acesso direto ao Pai por intermédio de Jesus Cristo.
  • Todo poder foi dado a Jesus Cristo e a Ele, nós fomos dado, saindo assim do antigo julgo da lei, para vivermos na Graça de Cristo e Graça é algo que é dado.
  • Na análise de um texto bíblico, temos que levar em consideração todo contexto histórico, o assunto principal do capítulo e principalmente o versículo anterior e posterior.

Vamos a explicação:

Eu sempre achei que tais métodos poderiam ser usados, com base  no que era feito no velho testamento, sempre usando sal(2 Reis 2:21),  objetos para realizar milagres (2 Reis 6:6), mergulhos como Ato de Fé (2Reis 5:14)  entre muitos outros tipos de atitudes. Mas o que para mim dava clara permissão de agirmos assim foi o fato descrito em Números 21:9 que diz: “Fez, pois, Moisés uma serpente de bronze, e pô-la sobre uma haste; e sucedia que, tendo uma serpente mordido a alguém, quando esse olhava para a serpente de bronze, vivia”, seguindo este principio poderíamos fazer o mesmo nas igreja atuais, pois nosso Deus é o mesmo ontem, Hoje e será o mesmo sempre e certo?
Sim! Certo! Mas…
Deus é o mesmo, mas o tempo da lei de Moises  a a aliança da era mosaica se cumpriu em Jesus Cristo, no qual após a morte de Jesus foi nos dada uma nova aliança, com novas regras (uma nova constituição para a nação do Deus Vivo!)

Mas após ler o evangelho de João (que já tinha lido outras vezes), um versículo me saltou aos olhos  no qual diz: “E, como Moisés [profeta e pastor daquele povo] levantou a serpente no deserto [objeto ou ponto de contato], assim importa que o Filho do homem seja levantado [Jesus o novo “ponto de contato para a fé!”];
Para que todo aquele que Nele crê [todos que crerem em Jesus, colocando sua fé Nele] não pereça, mas tenha a vida eterna. (João 3:14,15)” e foi como um abrir de olhos, quase como aconteceu no dia que descobrir realmente quem era Jesus.

Vi que a necessidade da serpente se deu pois ainda não tinha vindo o Filho de Deus para curar as feridas e enfermidades e trazer salvação ao mundo, e tal serpente representava Jesus Crucificado, era a expressão da misericórdia de Deus para aqueles que ainda não tinham o Cristo que foi prometido ainda no Gênesis!

Pesquisei ainda mais e aprendi que o Velho Testamento era uma sombra, um espelho do que poderíamos esperar no Novo Testamento (“Porque tudo o que dantes foi escrito, para nosso ensino foi escrito, para que pela paciência e consolação das Escrituras tenhamos esperança“. Romanos 15:4 )  (“Portanto, ninguém vos julgue pelo comer, ou pelo beber, ou por causa dos dias de festa, ou da lua nova, ou dos sábados, Que são sombras das coisas futuras, mas o corpo é de Cristo”.).
Devemos lembrar ainda que tudo no velho testamento fazia referencia a Jesus Cristo e sua vinda, a exemplo disso cito:  o pepisódio de Jonas na baleia (Mateus 12:40), o tabernáculo e toda sua disposição, o sacrifício dos animais (sinalizando para o sacrifício do cordeiro Santo que é Jesus), a arca de Noé (oferecendo salvação para aqueles que dessem ouvidos a mensagem de Deus) e muito mais.

Baseado nisto, percebi que tais atos de fé não eram mais necessários, pelo contrário,  era uma recusa da graça de Deus e o desejo de voltar as velhas coisas (“Assim que, se alguém está em Cristo, nova criatura é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” 2 Coríntios 5:17 ) , ou seja estávamos recusando o sacrifício da cruz e cometendo pecado, assim como fizeram os hebreus no deserto, desejando voltar para o Egito.
Ai me veio a pergunta que também lhes faço:
Vale a pena permanecer onde está o pecado e continuar ensinos que farão a todos aqueles que nele viver a nao conhecer verdadeiramente a Cristo ?

Argumentos apresentados por alguns pastores e defensores da prática:

Pontos de contato para ensinar, criar e direcionar a fé:

Alguns pastores dizem que os objetos são “pontos de contato” para “ajudar” as pessoas a terem fé, mas ao analisar este argumento de maneira mais profunda, observamos logo de cara um erro grave, pois a bíblia diz:

A Fé é: “Ora, a fé é o firme fundamento das coisas que se esperam, e a prova das coisas que se não veem.” (Hebreus 11:1)

Produzir fé: “De sorte que a fé vem pelo ouvir, e o ouvir pela palavra de Deus.” (Romanos 10:17)

Explicando:
A nossa fé deve está posicionada somente em Cristo (nosso verdadeiro ponto de contato) que é a palavra de Deus, o Verbo Vivo e Ele é o único caminho de uma fé verdadeira, logo a nossa fé está em algo que não se vê, que nao tem cheio que não tem presença física, mas  uma presença forte de maneira espiritual, presença essa que para sentir devemos direcionar nossa fé nela e essa presença é o Próprio Senhor Jesus e nunca direcionarmos nada a objeto como ponto de contato afim que este objeto nos ligue a Jesus (Jesus não precisa de intermediadores).

Sendo assim estamos ensinando as pessoas a terem fé de maneira errada se usarmos tais métodos, levando elas ao pecado. Além do mais, muitos pregadores não param nunca com as campanhas dentro das igrejas e aquelas pessoas que aprenderam a colocar a fé no ponto de contato se tornam tão dependente deste artifício, que dificilmente aprenderão a ter uma fé verdadeira em algo que não se vê.

Alguns dizem fazer com base em  (1 Corintios 9:19-23 / Paulo se fez de judeu para os judeus, grego para os gregos, de fraco para os fracos…:

Sou totalmente a favor de nos adaptarmos a cultura local para ganhar aquelas pessoas, ou seja, não irei em meio aos índios pregar o evangelho e obriga-los a usar roupas pelo simples fato de que na minha cultura andar sem roupa gera obscenidade, ja que no meio deles é natural andar sem roupa, da mesma forma é chegar a um escocês que usa kilt (saia para homens) e dizer que é pecado usa-la por ser roupa feminina em nossa cultura. Melhor é antes se fazer de escocês para o escocês, de índio para os índios levando em conta o que Paulo deixa claro neste texto que é nunca deixar que a cultura local o faça pecar pois a lei de Deus é maior que a lei dos homens.

Então logo eu não posso usar métodos que são maléficos as pessoas que os utilizam e mais ainda para mim, pois estarei contrariando a vontade de Deus.

Mas é os lenços e aventais de Paulo?

Sim, este foi o assunto mais difícil e para começar a estudar este tópico devemos ter em mente que que algo específico ou fato isolado não deve se tornar regra, pois se assim agirmos teremos que da aprovação a outros fatos isolados e específicos acontecidos na bíblia.
Mas buscando entender este versículo, vamos analisa – lo lendo também o verso anterior, posterior tendo como base o contexto do capítulo.

Contexto:
Paulo estava em sua terceira viagem missionária e chegara em Éfeso, cidade muito ligada à idolatria (Veja em: Atos 19:24) onde estas viviam a idolatria e da idolatria.
Com a pregação da Palavra (Jesus, o Verbo Vivo) por Paulo, que lá permaneceu durante dois anos (tempo este pregando e ensinando), muitos se converteram ao Senhor e estavam como bebês na fé (não conheciam por completo o evangelho de Cristo, o mesmo que ocorre hoje quando alguém se converte e demora algum tempo para abandonar algumas práticas), tanto que alguns convertidos não tinham ainda ouvido falar no batismo do Espírito Santo e nem que Ele (o poder de Deus e seus dons) é dado. ( Veja em: Atos 19:2).
A medida que as pessoas se convertiam e iam crescendo em em fé irritavam aqueles que viviam ligados a idolatria que por fim criaram um grande tumulto.

Versículos que falam do milagre dos lenços e aventais: (usarei a tradução ACF – Almeida Corrigida e Fiel ao texto original, tradução fiel ao texto original em 99%, sendo as outras traduções não chegando a este nível)

Atos 19:10-12 diz:
(tenham atenção dobrada nas partes em negrito e  mais ainda nas partes sublinhadas)

Deus fazia milagres extraordinários por meio de Paulo,
de sorte que eram do seu corpo levados lenços e aventais aos enfermos, e as enfermidades os deixavam, e deles saíam os espíritos malignos.
Também alguns judeus exorcistas, ambulantes, tentaram invocar o nome do Senhor Jesus sobre os que estavam possessos de espíritos malignos, dizendo: Esconjuro-vos por Jesus, a quem Paulo prega.

Podemos perceber que no versículo 10 realmente os maravilhas aconteciam e não tem como negar os milagres e nem falar que era ação de demônios pois já explica que Deus fazia os milagres.

Mas no versículo 11 o que me chama a atenção era que os lenços e aventais não eram dados por Paulo (o pastor ou pregador daquele povo) e sim eram tirados dele e de seu corpo e levado aos enfermos que não estavam presentes na reunião que ele realizava.
Sendo assim vejo aqui que:

1 – não era Paulo que dava os objetos com a unção e sim as pessoas que pegavam estes objetos, pessoas essas que viveram uma vida inteira na idolatria no culto da deusa Diana.

2 – Algo específico não deve se tornar regra, devemos lembrar que neste ponto não há uma citação dizendo que era algo comum de se acontecer nas pregações de Paulo, pelo contrário foi algo que “de sorte” (da maneira que) aconteceu naquela situação (fato isolado).
Em nenhum outro momento no ministério de Paulo vimos referência a essa prática e nem foi incentivada a ser feita. Naquele momento o foco não era os lenços e sim os prodígios que aconteceu devido a pregação da “palavra durante dois anos de permanecia de Paulo em Efeso” (a fé vem do ouvir e do ouvir a palavra de Deus).

O que percebo então é que as pessoas creram em Jesus, mas tinham um costume idólatra, que necessitavam de algo palpável para demonstrar sua fé, e Paulo não foi o “EXECUTOR” dos propósitos e sim o próprio povo que agiu daquele jeito querendo levar um pouco do que estava em Paulo (alto uncao de Deus) aos seus enfermos, e a misericórdia de Deus os alcançou (conhecendo os corações  a muito tempo enterrados na idolatria e na falta de ensino, sabendo que atraves das cartas Paulo os exortaria a deixar a idolatria).

Porque esta boa intenção leva ao pecado? 

No mínimo prática leva boa parte das pessoas aos seguintes erros:

1 – Idolatria: ao transformar objetos em amuletos, sejam de maneira temporária ou permanente ou colocar no objeto um valor acima do que ele tem tornando o mesmo sagrado em igualdade a Jesus.

2 – Tira a Glória de Jesus: Muitos colocam no objeto a a responsabilidade do milagre, mesmo que de maneira disfarçada (e pra honra e glória de Jesus eu coloquei a rosa no quarto e todo mal saiu).

3 – Impede o crescimento espiritual: Pessoas ficam dependentes da campanha, de modo que ficam atrás das mesmas, de tem campanha na quarta, todos passam a ir na quarta, se tem campanha boa parte sai da quarta e vai pra sexta, se vai vir na cidade um pregador que o lenço cura, todos deixam de ir na igreja para tentar pegar o lenço do pregador (idolatria).

4 – Inibe o cumprimento de um mandamento de Jesus: Buscai PRIMEIRO o reino Deus e sua justiça, que as demais coisas vos serão acrescentadas.

5 – Se torna um vício para igreja (membros) e para o pregador: pelo fato da campanha ser algo que costuma mover multidões, estes pastores e ministérios passam a sobreviver usando esses métodos, afim de evitar que a igreja se esvazie, de modo que passam a fazer campanha atrás de campanha para evitar que isso aconteça, gerando assim pessoas com fé “falsa”.

Como lutar contra isso:

Difícil essa luta, pois geralmente quem a pratica está convicto de que não está errado ou está de baixo de ordem superiores. Penso que devemos viver o versículo de Romanos 12:2 que diz: “Não vos conformeis com este mundo mas transformai.”

Baseado nisso, faça o que estiver a seu alcance para ensinar e propagar o ensino, use sua influencia diante das pessoas, seja os lideres ou liderados, converse com seus superiores diga o que sente e o que pensa sobre o assunto.
Mas acima de tudo ore a Deus, ore muito, convide outros para lutar com você e peça a Deus que da sua boca saia apenas palavras inspiradas por Ele.
Faça um compromisso com Deus de lutar pela mudança da igreja, junto com Ele (coloque Deus sempre a frente de suas lutas) pois ali você foi chamado, determine um prazo junto a Deus para colher os frutos de sua luta, caso a a árvore não esteja dando mais fruto, creio que este seja o momento de você deixar o ministério, pois devemos ter em mente o que a bíblia ensina que não andarão dois juntos se os mesmo não estiverem em comum acordo, pois essa discórdia não é apenas doutrinária, mas sim um pecado que a igreja pratica, e você la no meio será parte deste corpo doente.
Porem caso esteja dando fruto, mesmo que seja pouco, e mostrando sinais de curas, mesmo que localmente, não desista ou deixe o ministério, pois você pode ser a pessoa escolhida para transmitir a verdade se assim não o fizer, vidas podem ser colocadas em jogo por desistência da sua parte.

Acima de tudo seja sensível a vontade de Deus, pois a vontade Dele é boa perfeita e agradável, deixando seus ouvidos atentos ao que Deus diz, pois a nossa vontade e nosso amor nunca pode ser maior que a Vontade De Deus em nossas vidas.

Mas minha igreja e minhas reuniões perderão muitos membros:

No inicio, pode ser que sua igreja perca algumas pessoas e baseio isso no ministério do próprio Senhor Jesus que antes oferecera pães e peixes a vontade (João 6:11), mas quando foi pregar algo mais sólido (Hebreus 5:12),  muitos acharam seu discurso duro (João 6:60), preferindo voltar atras e deixando de segui-LO (João 6:66), ficando apenas aqueles que realmente ouviram a Palavra e viram em Jesus o Único caminho.

A bíblia nos manda pregar o evangelho a toda criatura ( Marcos 16:15), e assim Jesus deu exemplo pregando a “VERDADE” neste discurso (João 6:60) que as pessoas acharam duro, então assim pastores, ministros obreiros e todos aqueles que pregam o evangelho devem fazer.
Ser duro não é ser nervoso, ignorante, usando palavras que irão ofender, mas sim apresentar a verdade por mais dura que seja, sempre com carinho e amor assim como Jesus nos ordenou (João 15:12), e a maior expressão do amor é ser verdadeiro e ensinando o caminho certo para que todos tenham condição de amar verdadeiramente a Jesus (João 14:21 “Aquele que tem os meus mandamentos e obedece a eles, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e Eu também o amarei e me revelarei a ele.”).

Por fim em Mateus 28:19 diz: “Portanto ide, fazei discípulos de todas as nações, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo”, ou seja, devemos fazer discípulo (queles que seguem a Jesus e Seus mandamentos) e não ter uma igreja cheia de pessoas vazias atras apenas dos benefícios de Cristo (aqueles que voltaram atras quando Jesus pregou um discurso duro) e nunca buscando o Teu Reino e Tua Justiça.

Lembre-se que esta obra é do Senhor Jesus e Ele não desamparará aquele que faz o “TRABALHO DE MANEIRA CORRETA  ( “Portanto, meus amados irmãos, sede firmes e constantes, sempre abundantes na obra do Senhor, sabendo que o vosso trabalho não é vão no Senhor.”  1 Corintios 15:58) , o Senhor irá acrescentar cada dia mais pessoas (Veja em Atos 2:46,47), envidando ovelhas e mantendo a obra (pessoas fies ao dizimo e ofertas), mediante sua Fé Nele.

Vá pregando aos próximos a verdade e adquirindo parceiros para propagar a verdade, pois da mesma maneira que Deus expandiu como nunca o cristianismo nos primeiros dias, se você está no barco, ajude a tirar a água (os erros e pecados que tentam afundar),

Mas lembre-se, SE VOCÊ ESTÁ NO BARCO TIRANDO A ÁGUA QUE TENTA AFUNDAR O BARCO, VOCÊ TEM QUE FALAR PARA AQUELES QUE NÃO TEM NOÇÃO DO QUE ESTÁ ACONTECENDO, MESMO QUE ESTE SEJA O CAPITÃO (PASTOR OU SUPERIOR), PASSANDO PELA TRIPULAÇÃO (OBREIROS OU PESSOAS EM POSIÇÕES IGUAIS), AO SIMPLES PASSAGEIRO (MEMBROS OU PESSOAS ABAIXO DE SUA AUTORIDADE).
Se você não falar ninguém saberá e qualquer ajuda é bem vinda quando o barco está afundando.

Ninguem deu ouvidos ? Lembre-se a salvação é individual e se eles nao a querem, ore, clame a Jesus e saia do barco andando sobre as águas pois ele não deixará você afundar!

No fim resta o mais importante….
[oração] ORAR + AÇÃO [orar e agir].

Que a paz seja com todos!

Sobre o autor Daniel Lopes

Posts Relacionados

Deixe uma resposta